1. Apresentação

Este trabalho tem como objetivo principal desenvolver um estudo acerca do turismo na região sudoeste da Bahia, analisando as potencialidades existentes assim como as limitações e ameaças ao seu desenvolvimento. Pretende-se mais especificadamente investigar os motivos pelos quais o turismo regional não consegue se desenvolver, apesar das riquezas naturais, paisagísticas, históricas e culturais da região. Utiliza-se como base do referencial teórico conceitos do turismo e de sua participação para o desenvolvimento local e regional, como também os impactos causados pelo turismo ao meio ambiente.

As investigações até agora realizadas levam a proposição de que existem alguns municípios da região com potencial turístico a ser desenvolvido. Neste cenário, Vitória da Conquista se destaca pelo centro comercial que representa e pela liderança política e econômica que exerce na região. Entretanto, a falta de uma infra-estrutura adequada (aeroporto, estradas, hotéis) para o atendimento ao turista aliada à inexistência de um planejamento integrado do setor faz com que o turismo não se desenvolva.

Sejam Bem Vindos a Vitória da Conquista!!!

video

Mapa Região Sudoeste da Bahia


Fonte: SEI-BA 2003
Org: ALTEMAR AMARAL ROCHA (UESB/2008)


1. INTRODUÇÃO

Turismo é a atividade de pessoas que viajam para fora do seu ambiente normal, durante período inferior a um ano, com finalidade de lazer, negócios etc., conforme apregoa a Organização Mundial do Turismo – OMT (2007)

O Turismo representa hoje, em nível mundial, uma das mais importantes atividades econômicas e sociais, principalmente por causa do seu poder de geração de empregos e redução das desigualdades regionais. Além de gerar riqueza, o turismo tem uma importante interação com o meio ambiente, com o meio cultural e social das comunidades locais.
Segundo a Embratur (2006): • O turismo no mundo alcançou em 2005 uma receita cambial turística da ordem de US$ 681,5 bilhões. • Em 2005 o Brasil alcançou a receita cambial turística de US$ 3,86 bilhões, superior em 19,83 % ao ano de 2004 (US$ 3,22 bilhões), atingindo a marca de 34 meses consecutivos de crescimento (desde março de 2003). • Os resultados do turismo no ingresso de divisas para o país foram da ordem de U$ 3,861 bilhões, ocupando a 5ª posição na pauta de exportação, o que corresponde a 19,83% acima do resultado alcançado em 2004 (U$ 3,222 bilhões). • Desembarque de 6,79 milhões de passageiros de vôos internacionais no ano de 2005 (inclui brasileiros voltando do exterior e turistas estrangeiros), superior em 10,5% do total de desembarques no mesmo período de 2004 (6,14 milhões). • Em 2005, o desembarque de passageiros de vôos nacionais foi de 43,1 milhões, 17,8% acima do verificado no ano passado (36,6 milhões de passageiros). Isso significa 27 meses consecutivos de crescimento (desde outubro de 2003).

De acordo com o World Travel na Tourism Council (WTTC) “o turismo é a maior indústria do mundo e representa cerca da décima parte da atividade econômica mundial, conforme o WTTC, o turismo representa 10,7% de toda a economia”. Em 1999, houve 664 milhões de turistas no mundo que gastaram $ 4,55 trilhões. Em 2006, o WTTC estima que os gastos chegarão a $ 7,1 trilhões e os investimentos, a $ 1,6 trilhão. (POWERS, 2004, p.16) Apesar de ainda representar um desempenho modesto, o turismo continua figurando entre os dez produtos mais importantes da pauta de exportação brasileira de bens e serviços, cabendo assinalar que entre os anos de 1998 e 2003 a posição do país no ranking dos principais receptores de turistas internacionais passou do 45º para o 39º lugar.

Dos números acima descritos, observa-se que, apesar do crescimento verificado no turismo brasileiro nos últimos anos, ele ocupa ainda uma posição marginal no turismo internacional. Isso, por outro lado, demonstra a grande oportunidade de crescimento que o setor ainda possui nos anos vindouros.

Entretanto, o turismo brasileiro, apesar de seus grandes atrativos naturais e culturais, enfrenta sérios obstáculos para o seu desenvolvimento, como a falta de infra-estrutura e qualidade para atendimento ao turista estrangeiro e nacional; concorrência de outros pólos internacionais, preços não competitivos, e, ainda, imagem abalada do país no exterior, por conta dos problemas sociais.

Neste cenário nacional, o estado da Bahia destaca-se por possuir diversos fatores de demanda turística, como muitos quilômetros de praias, rios, cachoeiras, carnaval, história e cultura ricas, festas populares, etc.

No entanto, os programas de desenvolvimento do turismo baiano deixam de fora algumas regiões importantes, em que se verifica a necessidade de implementação de estratégias de aproveitamento do potencial turístico existente.

A região sudoeste do estado, apesar de estar situada numa faixa do semi-árido, possui algumas cidades, cujas características locais, sejam elas naturais, culturais, históricas ou econômicas; favorecem ao desenvolvimento de um planejamento turístico próprio.

Nesse sentido, os municípios de Vitória da Conquista, Rio de Contas, Mucugê, Anagé, Ituaçu e Jequié se destacam por possuírem atrativos próprios, que se forem bem estudados e planejados, poderão dinamizar o turismo e contribuir para o desenvolvimento destas localidades.

Motivação Pessoal

Tendo em vista a minha participação no Programa de Doutorado da Universidade de Barcelona no Curso de "Planejamento Territorial e Gestão Ambiental", o interesse em estudar o turismo como fator de desenvolvimento regional se justifica pelo fato de que o Sudoeste do Estado da Bahia, onde está inserida a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB( onde trabalho), ainda possui indicadores sociais e econômicos muito baixos; ao tempo em que necessita implementar novos projetos e ações de desenvolvimento para a região que também levem em consideração a sustentabilidade dos recursos naturais.
Além disso, o turismo representa um importante setor de dinamismo econômico e, quando bem planejado e administrado, pode contribuir para a preservação do meio ambiente e valorização das culturas locais.
Tema:
· Turismo e desenvolvimento regional no Sudoeste da Bahia: uma análise das suas potencialidades e dos seus problemas.

Objetivo Geral:
· Analisar o potencial turístico da Região Sudoeste da Bahia

Objetivos Específicos:
· Avaliar as principais potencialidades e as principais dificuldades para o aproveitamento do potencial turístico da Região Sudoeste da Bahia
· Discutir alternativas para o aproveitamento do potencial turístico da Região

Problema:
· Por que o turismo não tem uma maior participação (importância) no desenvolvimento econômico e social da região sudoeste do estado da Bahia

Publicações sobre o turismo na região sudoeste da Bahia

Poucas publicações foram encontradas acerca do desenvolvimento do turismo na região sudoeste da Bahia, entre estas se destacam as seguintes:

· O patrimônio arquitetônico de Mucugê – BA como recurso para o fomento do turismo cultural

Este artigo retrata que a prática do turismo cultural viabiliza o resgate da memória e conseqüentemente, a necessidade de cuidar dos bens materiais e imateriais do destino. Tem o intuito de estimular o turismo cultural em Mucugê, e sensibilizar todos os atores da atividade turística em prol da preservação patrimonial, afinal, bens culturais são os principais recursos dessa segmentação.

· Turismo e o seu significado local: em foco a cidade de Ituaçu – Bahia

O artigo examina de modo superficial, a episteme atual do turismo e suscita algumas discussões a partir do saber empírico extraído de uma pesquisa de campo na cidade de Ituaçu – Bahia. Caracteriza o turismo como uma atividade complexa e dinâmica, em virtude de sua abrangência – político-econômica, sócio-cultural e ambiental. A pesquisa conclui que o turismo em Ituaçú está no entendimento empírico, pois é socialmente reconhecido como uma atividade extremamente importante pela comunidade, embora ela seja praticada por uma pequena parcela da população e de forma ainda amadora, caracteriza-a como uma sub-atividade, exercida sem a devida coesão organizacional.

· Os eventos como potencializadores do turismo regional: O Festival de Inverno Bahia

Este artigo faz considerações preliminares sobre a importância dos eventos como potencializadores do turismo regional baseando-se em dados obtidos através de pesquisa de demanda turística realizada no Festival de Inverno Bahia em 2005, em Vitória da Conquista. Destaca a relação existente entre eventos e o turismo, mencionando a importância da infra-estrutura urbana necessária à sua realização.

“Um evento precisa para sua realização de um grande número de profissionais e de infra-estrutura adequada, trazendo benefícios sociais e econômicos para a comunidade local e, dependendo do seu porte, para todo o país.”
A OMT (2003, p.93), ressalta a importância dos eventos dizendo,

“O mercado de eventos tem-se tornado um segmento altamente especializado e importante para o setor turístico. Como resultado, vários elementos bem estabelecidos compõem o segmento de eventos, cada um deles desempenhado uma função diferente.”

É inegável a importância para a geração de emprego e renda para a população da região onde se realiza.

“outro aspecto importante é a necessidade de infra-estrutura adequada, seja básica (saneamento, água tratada, redes e tratamento de esgoto), de apoio (transporte, hospitais, segurança pública) ou turística (meios de hospedagem, restaurante, agências de viagens, etc.). A realização de eventos em um município pode estimular então, a melhoria desses serviços urbanos e, conseqüentemente, trazer a melhoria da qualidade de vida dos seus habitantes.”


· Turismo Cultural: um olhar sobre o patrimônio histórico do centro de Vitória da Conquista

Este artigo demonstra como o turismo cultural pode ser o impulsionador da preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade de Vitória da Conquista, BA, levando assim a comunidade a perceber o valor da sua identidade e de sua memória através do patrimônio histórico e cultural. Quando se fala em Turismo Cultural e Patrimônio Histórico no centro de Vitória da Conquista seria de suma importância fazer esses registros, já que a estrutura urbana da cidade vem sofrendo modificações com o passar dos anos.

“Turismo cultural é o acesso ao patrimônio cultural, ou seja, a história a cultura e o modo de viver de uma comunidade. Sendo assim, o turismo cultural não busca somente o lazer, repouso e boa vida. Caracteriza-se, também, pela motivação do turista em conhecer regiões onde seu alicerce está baseado na história de um determinado povo, na suas tradições e nas suas manifestações culturais, históricas e religiosas” (MOLETTA, 1998).

· O Turismo no Sudoeste Baiano: A Micareta de Vitória da Conquista Bahia.

Este artigo apresenta a pesquisa de demanda turística realizada durante a Micareta de Vitória da Conquista – BA, realizada no período de 16 a 20 de abril de 2005. A metodologia utilizada neste trabalho privilegiou a pesquisa documental e exploratória, utilizando dados quantitativos e qualitativos secundários oriundos do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Turismo – NPETur da Faculdade de Tecnologia e Ciências, além de referências bibliográficas como revistas, jornais e livros que tratam do carnaval. Objetiva relacionar o carnaval – fruto da cultura popular - com o turismo, analisa a origem do Carnaval desde a Idade Média até os dias atuais, descreve a Micareta de Vitória da Conquista e sua infra-estrutura, bem como apresenta a pesquisa de demanda realizada em 2005 e os principais resultados apurados. Salienta algumas considerações sobre esse evento tão importante na região sudoeste da Bahia.


As poucas publicações demonstram o quanto ainda está incipiente as pesquisa e os estudos acerca do turismo na região sudoeste da Bahia. Esta pode ser uma das causas para o pouco aproveitamento do potencial turístico como fator de desenvolvimento regional. Faz-se necessário, portanto, realizar mais estudos sobre o turismo na região, seus impactos econômicos, sociais e ambientais; seus problemas e dificuldades para o desenvolvimento.

Revisão de Literatura: Turismo

O turismo como fator de desenvolvimento local

Sendo o turismo uma atividade econômica de efeito multiplicador, ele pode contribuir para o desenvolvimento de pequenas e médias empresas e todo o tecido social envolvido. Para que isso ocorra de forma efetiva, o turismo deve ser concebido, desde o seu planejamento, com a participação de todos os atores envolvidos, principalmente aqueles participantes da comunidade de um determinado local.

O que se observa muitas vezes é exatamente o contrário. Os projetos turísticos implementados no estado da Bahia, em sua maioria, foram organizados sem a participação da comunidade nem dos empresários locais. Isso tem contribuído, como demonstra a experiência prática, para que o crescimento do turismo ocorra de forma acentuada em algumas localidades ou regiões, como é o caso da cidade de Porto Seguro, na Bahia, mas sem uma adequada utilização dos recursos naturais, humanos e sociais envolvidos. Ocorre um crescimento acentuado da economia do turismo, mas sem que isto represente uma melhoria da qualidade de vida das populações locais.

Em Porto Seguro, mesmo sendo um dos locais mais requisitados do Brasil, o crescimento da indústria turística ainda não assegurou uma melhoria da qualidade de vida para a maioria de seus habitantes. Os seus indicadores sociais não condizem com o título de segunda principal cidade turística da Bahia, ficando atrás apenas da capital Salvador.

Como afirma Cruz (2001):

Diante da fragilidade da estrutura econômica, em que a pobreza e miséria compõem parte significativa do quadro social, o turismo tem sido visto como alternativa viável em busca do desenvolvimento e da superação dessas deficiências. O imediatismo que tem caracterizado o desenvolvimento da atividade, porém, compromete os resultados ao longo do processo, inibindo a maximização de benefícios e levando a superlação de impactos negativos.

Diante dessa afirmação de Cruz compreende-se a importância que o turismo tem, quando bem gerido ou administrado, para que ocorra uma mudança qualitativa em uma dada localidade. Essa mudança só é possível quando o seu planejamento é desenvolvido com foco na melhoria das condições sociais e ambientais. Pois, se o objetivo for meramente econômico, como ocorre em muitos casos, a tendência é a da desarmonia ou do desequilíbrio em nível ambiental e social.

Como afirma Porter,1999, p. 207:

A prosperidade de um destino turístico, assim como de um país, deve ser fruto de ações abrangentes, com visão de longo prazo. Acrescente-se, ainda, que a prosperidade de uma localidade não é algo herdado, mas sim o produto do esforço humano de toda a sociedade. Não se pode delegar a responsabilidade das ações somente para o Poder Público. A competitividade depende da capacidade de sua indústria de inovar e melhorar. Os desafios e a concorrência devem ser estímulo para o alcance de vantagens competitivas, bem como clientes locais exigentes e fornecedores agressivos fortalecem a competitividade.

Os impactos da atividade turística no meio ambiente

É importante destacar que o turismo contribui para melhorar os ingressos financeiros numa região, mas, quando realizado de maneira desordenada, com o uso inadequado dos recursos naturais, as atividades turísticas podem provocar grandes desequilíbrios ecológicos.

É inevitável que a atividade turística esteja associada a impactos ambientais, uma vez que há um contato direto entre o consumidor (turista) e o produto (meio ambiente). Estudos comprovam que alguns problemas ambientais têm como causa a prática do turismo sem a devida preocupação com os recursos naturais envolvidos. No entanto, pode-se, a partir de uma proposta de turismo sustentável, diminuir o seu impacto no meio ambiente ou até mesmo contribuir para a sua conservação.

Turismo Sustentável

Além do turismo tradicional, está surgindo uma nova tendência, que é o turismo sustentável, no qual a exploração dos recursos, a direção dos investimentos, a orientação da evolução tecnológica e mudanças institucionais (leis, normas, regimentos) se harmonizam e reforçam o potencial presente e futuro desse novo segmento.

O turismo sustentável traz novas alternativas econômicas e conseqüente melhoria das condições de vida das populações diretamente envolvidas, além de reduzir os impactos negativos, causados pelo turismo tradicional.

Consideraçõs parciais sobre o Turismo na região Sudoeste da Bahia

A partir dos estudos realizados acerca do Turismo no Sudoeste da Bahia, tendo a cidade de Vitória da Conquista como pólo, pode-se afirmar que a região possui muitos atrativos turísticos, embora, também, preliminarmente foi possível perceber muitas deficiências quanto ao aproveitamento deste potencial. De um modo geral falta infra-estrutura adequada para o atendimento ao turista. Como exemplo disso, podemos destacar a situação precária do Aeroporto de Vitória da Conquista, que não possui vôos para atendimento da demanda, como também não pratica preços competitivos.

Vitória da Conquista, como cidadde pólo de uma região de 2 milhões de habitantes possui diversos atrativos que podem ser melhor aproveitados como "produtos turísticos". A cidade tem um dos melhores centros comerciais do Nordeste do Brasil, possui uma rede educacional e uma estrutura de saúde (Clínicas, Hospitais, etc), que atraem pessoas até mesmo do norte do estado de Minas Gerais. A cidade tem vocação também para o Turismo Empresarial ou de Negócios, mas não possui um Centro de Convenções para a realização de grandes Congressos, Encontros, etc.

A cidade ainda realiza diversos Eventos importantes, como a Micareta e o Festival de Inverno. Entretanto, parece não haver projetos públicos e/ou privados que busquem o desenvolvimento regional a partir do aproveitamento do turismo. A cidade carece, por exemplo de infra-estrutura básica, como de bons hotéis para atendimento aos turistas.

Fotos Sudoeste da Bahia

Fotos Sudoeste Da Bahia

Municípios com potencial turístico

Vitória da Conquista

Segunda maior cidade do interior da Bahia. É Pólo de uma região de cerca de 2 milhões de habitantes


Principais atrativos turísticos:


Turismo de Negócios:



  • Comércio forte e dinâmico

  • Setor de Serviços de destaque e em expansão


  • Referência nas áreas de saúde e educação


  • Shopping Certer ( negócios e lazer)

Turismo de Eventos (Culturais, Sociais, Políticos, etc.):



  • Festa da Micareta (carnaval fora de época). Festa anual realizada desde 1989.


  • Festival de Inverno. Festa Musical de três dias que ocorre desde 2005, com artistas e bandas da MPB e Rock / Pop Nacional.


  • Exposição – Expo-Nacional. Exposição Agropecuária, Comercial e Industrial, realizada a mais de 50 anos. Além de movimentar milhões de reais em uma semana, também conta com uma vasta programação cultural e festiva. Recebe visitantes de várias cidades da Bahia e do Brasil.


  • Vaquejada. Festa de tradição nordestina e baiana. A cada ano traz mais visitantes de outras cidades da Bahia e do Brasil.


  • Teatro, Shows Musicais. A cidade tem se destacado na promoção de eventos artísticos de grande qualidade e repercussão regional.


  • Shopping Center. O Shopping Center Conquista Sul pode ser considerado "o grande fenômeno do comércio e entretenimento conquistense nos últimos anos. Pessoas de toda a região sudoeste e norte de Minas Gerais fazem com que o Shopping esteja quase sempre lotado.


Turismo Rodoviário



  • Turismo de passagem – Roteiro de viagem para turistas que vem do Centro-Oeste(Brasília, Goiânia, etc) em direção às cidades praianas de Ilhéus, Olivença, Itacaré, Porto Seguro, etc




Rio de Contas
Cidade histórica da Chapada Diamantina, com muitas belezas naturais


Principais atrativos turísticos:



  • Turismo Ecológico e Cultura/Histórico


  • Cachoeiras


  • Rios


  • Museus


  • Igrejas


  • Carnaval tradicional


  • Festas populares



Ituaçu
Cidade histórica no portal da Chapada Diamantina


Principais atrativos turísticos:



  • Gruta da Mangabeira

  • Riqueza cultural e histórica

  • Cachoeiras



Jequié
Pólo de uma micro-região, a cidade possui rica beleza natural, como a Barragem de Pedras e várias cachoeiras e cursos d’água.


Principais atrativos turísticos:



  • Festa de São João ( considerada uma das melhores do estado da Bahia)


  • Barragem de Pedras


  • Cachoeiras



Mucugê (não faz parte da Região Sudoeste, mas foi incluída neste estudo em razão da sua proximidade com Vitória da Conquista)
Cidade turística de grande beleza natural


Principais atrativos turísticos:



  • Cachoeiras


  • Chapada Diamantina


  • Trilhas ecológicas


  • Acampamentos


  • Hotéis rústicos


  • Rios


  • Fauna e flora ricas


  • Cemitério Bizantino



Anagé
Cidade pequena a 60 km de Vitória da Conquista, com um potencial pouco explorado. Possui uma barragem de mais de 60 km de extensão


Principais atrativos turísticos:



  • Barragem do Rio Gavião

  • Prainha

Entrevista com o Empresário José Maria Caíres

Entrevista Com Jose Maria Caíres_Turismo no Sudoeste da Bahia

Municípios em síntese

Dados gerais dos municípios de Vitória da Conquista, Jequié, Anagé, Rio de Contas, Mucugê e Iguaí. (Fonte: SEI - BA, 2009)

Resultados a conseguir

Espera-se que este trabalho contribua para um aprofundamento dos estudos e pesquisas relativas ao turismo na região sudoeste da Bahia. Despertar também nas organizações públicas e privadas a necessidade de melhor compreender o turismo como setor impulsionador do desenvolvimento regional.

Shopping Conquista Sul: ajuda a desenvolver o turismo em Vitória da Conquista

O Shopping Conquista Sul é o maior centro de lazer, compras e entretenimento do Sudoeste da Bahia, localizado em Vitória da Conquista em área privilegiada e de fácil acesso. Atende aproximadamente 2 milhões de pessoas de cerca de 90 municípios, que tem a cidade como referência para consumo de produtos e serviços.

Inaugurado em junho de 2006, o empreendimento conta com fluxo mensal de 300 mil pessoas, com um total de 134 lojas, entre satélites, âncoras, mega-stores, salas de cinema stadium da rede Moviecom, estacionamento rotativo para 3000 vagas, praça de alimentação com capacidade para 700 pessoas (sentadas), praça de eventos, 16.500 m² de ABC (área bruta construída), uma ABL (área bruta locável) de 11.000m², em um terreno de 34.200m².

O shopping é um empreendimento da Ciclo Empreendimentos com administração da Zolim Planejamento e Administração em Varejo, que conta com profissionais especializados e de vasta experiência em gestão de Shopping Centers.

Moderno, atraente, com mix de lojas que reúne grandes franquias nacionais, internacionais, e os melhores varejistas locais. Tudo isso em um ambiente sofisticado e agradável que reúne moda, lazer e serviços.

Artigo: Os Eventos como pontenciadores do Turismo Regional: Festival de Inverno Bahia

O Festival de Inverno Bahia irá em 2009 para o seu quinto ano e já é o maior Festival de Pop Rock da Bahia. Por acontecer sempre no mês de Agosto, é o ponto alto da estação de Inverno no Estado.

Pelo palco principal do Festival já passaram estrelas como O Rappa, Los Hermanos, Lulu Santos, Paralamas do Sucesso, Engenheiros do Hawaii, Nando Reis entre outras figurinhas carimbadas do Pop Rock Nacional.

Pela organização, estrutura e critério na escolha das atracões, o Festival de Inverno Bahia já ultrapassou as fronteiras de Vitória da Conquista, e hoje é destaque no cenário musical baiano.

Artigo: O Turismo no Sudoeste Baiano: A Micareta de Vitória da Conquista - Bahia

A Micareta de Vitória da Conquista é uma Festam Polular ( um verdadeiro Carnaval fora de época). Acontece desde 1987, sempre no mês de abril. É uma festa que conta com algumas das melhoras atrações do Axé Music e, por isso, atrai milhares de possoas todos os anos.